309 com Grandes Espanhóis da Eternal Storm


A Tempestade Conservadora Chega a sua Entrevista 309 com a Banda Espanhola Eternal Storm e a banda nos lança seu Primeiro Álbum intitulado como Come The Tide. A Banda tem essa formação:Kheryon como Vocalista e Baixista,Daniel Maganto e Jaime Torres como Guitarristas e Mateo Novati como Baterista.Daniel foi a escolha da banda pra responder nossas perguntas e vamos a elas,mas antes.

Tempestade Conservadora 1:Apresentem a banda pra nós?
Daniel Maganto-Eternal Storm:Olá! Primeiro, pedimos desculpas pelos tijolos e estupidez que escrevemos. Hoje, o Eternal Storm é composto pelos seguintes degenerados que são Kheryon como vocalista e baixista ,Jaime Torres como guitarrista,Daniel Maganto como guitarrista e do qual participamos da banda desde o início e Mateo Novati que entrou como baterista no final de 2015 e estamos felizes com sua loucura e juventude.
Tempestade Conservadora 2:Falem sobre o trabalho de composição em Come The Tide?
Daniel:O processo de compor o álbum foi bastante longo, a primeira música que compusemos foi uma versão primitiva de The Mountain que tinha outro título na época no início de 2010 e enquanto terminávamos de compor nosso EP From the Ashes. Decidimos não usá-lo lá, porque já sabíamos que, diante do nosso primeiro álbum, íamos compor em uma linha bem diferente do EP. Estávamos trabalhando em riffs diferentes quando descrevemos esse lançamento e trocamos as baterias. Em 2013, retomamos a composição mais ativamente e compusemos o que seria Of Winter and Treason até gravamos uma demo dessa música com nossa bateria anterior e a tocamos ao vivo algum dia com um nome um pouco diferente, e também escrevemos The Lake Scarlat. No ano seguinte, estávamos trabalhando nessas questões e, enquanto compusemos e gravamos The Great Wings of Silence para o Split chamado Elemental Nightmares sobre o qual falaremos mais adiante e modelamos “Embracing Waves,o interlúdio “Drifters” e muito de Through the Wall of Light. No final daquele ano, Jaime mudou-se para Edimburgo que fica na Escócia e embora sempre tenhamos sido um grupo que geralmente trabalha com idéias de casa.Geralmente de Jaime em vez de compor do zero nas instalações.Então,descemos ainda mais o ritmo, junto com vários problemas que tivemos com a bateria anterior.Ao longo de 2015, estávamos finalizando as músicas e “Detachment” surgiu como uma necessidade de uma música um pouco mais direta, trocamos a bateria naquele verão e passamos os meses seguintes dando os últimos toques às músicas com Mateo, que apesar de ter incorporado para a banda quando as bases das músicas terminaram, trouxe muita classe e solidez para elas. De fato, a maior parte da composição aconteceu entre 2013 e 2015 e entre as mudanças de formação, grupos paralelos, que tocamos bastante ao vivo e a procrastinação típica do Mediterrâneo foi bastante prolongada.Mas existem pessoas que não acreditam que estamos trabalhando há 7 anos sem parar no disco e não foi tão exagerado.Gostamos de abordar bastante as questões e descartar algumas ao longo dos anos, mas grande parte do atraso ocorreu devido a obrigações e distrações.
Tempestade Conservadora 3:A Banda escolheu algum single pra este álbum e o porque da escolha?
Daniel:Simplesmente escolhemos a faixa mais curta do álbum, embora ainda seja bastante longa. Kunal que é o proprietário da Transcending Obscurity escolheu o tema para o sampler da gravadora que todos os anos atrás da gravadora e também gravamos um videoclipe com Falke que é guitarrista da banda Foscor e Raquel García.Ambas boas amigas de Barcelona. Em março de 2018 e Será lançado no início de setembro.
Tempestade Conservadora 4:Porque a música Through the Wall of Light tem duas partes?
Daniel:Decidimos dividir o assunto em dois, para que não assustasse tanto os ouvintes pela primeira vez, já que a primeira impressão de um registro por um grupo desconhecido é uma questão de quatorze minutos. Assim, se eles pularam a primeira parte e, como a segunda parte, podem sentir pressão para retornar, caso contrário muitos perderiam o solo do saxofone.Além disso, diferenciamos a primeira parte mais extrema da segunda, que é mais atmosférica.

Tempestade Conservadora 5:Como surgiu a ideia de fazer uma música de Onze Minutos?
Daniel:Ficamos empolgados em compor, gostamos de muitos grupos com desenvolvimentos muito longos e tentamos usar muitas texturas, contrastes e recursos nos temas, por isso é normal ficar fora de controle algumas vezes.
Tempestade Conservadora 6:Como surgiu a ideia de fazer um álbum Split?
Daniel:Um dia, me deparei com o projeto Elemental Nightmares no Facebook e isso chamou minha atenção.Era uma série de faixas de vinil de bandas bastante diferenciadas, mas havia muitas que eu gostava como Canopy, Vuyvr, Porta Dark, Eventide e etc. O projeto havia sido anunciado e supostamente encerrado alguns meses antes e aproveitei a oportunidade para escrever para Fredrik que é o responsável por todo o assunto e vocalista do Canopy para dizer a ele que além do quanto eu gostava do Canopy, gostaríamos muito de fazer parte do lançamento em o caso inquestionável de que ainda era possível. Aconteceu que embora ainda não tivesse sido divulgado, ele mudou de sua ideia de treze discos de vinil de sete com 26 bandas para sete discos de dez com vinte e oito bandas.Então, havia espaço para sua nova banda Kaos Vortex e uma banda mais. Ele gostou de “From the Ashes” e me disse que, se nos apressássemos em gravar, poderíamos nos juntar ao Split em que Stortregn que é uma banda da Suíça e também Will of the Ancients que é uma banda do Canadá também estariam. Pela primeira vez, nos apressamos e em dois meses compusemos e gravamos o assunto.Não foi ruim.
Tempestade Conservadora 7:Porque a banda mudou de nome?
Daniel:Death Valley nos parecia um nome repetido e horrível demais e após várias sessões exaustivas de tempestades de ideias na casa dos pais de Jaime, decidimos optar por um nome menos solicitado, mas muito cafona. Agora, dá uma careta para alguns,mas é tarde demais.
Tempestade Conservadora 8:A Banda terá shows ou turnês a fazer em 2019?
Daniel:Reservamos um pouco este ano até o lançamento do álbum, fizemos um concerto com os nossos colegas de Gravaodra Hex e nossos mais admirados Vidres A La Sang em Euskadi. Em março,fizemos outro com Northland e Agathos em Valência. Em abril, para eliminar o bug e porque eles eram Planos muito suculentos.Daqui uma saudação às bandas e promotores dessas datas. Nós tocaremos no dia 27 de setembro em Murcia e no dia 9 de novembro em Alicante, ambos com Demised e The Holeum. Duas bandas compostas por pessoas muito boas e que também fazem excelentes músicas. De 14 a 20 de outubro, faremos nossa primeira turnê européia com os espanhóis Totengott que seriam o que sairia se Tom G. Warrior do Celtic Frost e Triptykon se tornasse um grupo nas Astúrias. Um verão em vez de gravar o odiado “Cold Lake ainda estamos trabalhando duro para avançar, porque ainda somos grupos muito desconhecidos, mas realmente queremos. Não acho que vamos marcar mais datas em 2019 devido a problemas de disponibilidade de nossos trabalhos e que substituímos vários desses shows.Mas em 2020,tentaremos aumentar nossas atividades ao vivo.
Tempestade Conservadora 9:Em que se diferencia a Eternal Storm de suas bandas anteriores?
Daniel:Eternal Storm é a primeira banda séria que a maioria de nós já teve.Se sério é para gravar material em estúdio, tocar ao vivo e etc. Exceto por Mateo, ele estava tocando com mais bandas do que conosco. Muitos de nós tocamos ou tocamos em outras bandas desde que fazemos parte do Eterno, como Dentição, Heid, Abutres, Noite Perpétua, Cemitério Líquido, Irmã Jude, Clockwork ou Mourning Sun. Com Eternal ou “Meterla”, como chamamos a primeira banda de piadas se divertindo e curtindo nossa companhia e estupidez ao ritmo de blast beats.
Tempestade Conservadora 10:Como é a cena Metal da Espanha?
Daniel:Pessoalmente, não considero que exista qualquer cena aqui. É um termo que, na minha opinião e é usado de maneira muito errada quando no máximo, existe uma comunidade. No entanto, hoje existem muitas bandas excelentes tanto as veteranas como Wormed, Foscor, Vidres A La Sang, Adrift, Numen, Evadne, Helevorn, Angelus Apatrida e novas ou relativamente jovens como The Holeum, Totengott , Altarage, Le Temps Du Loup, Ernia, Onirófago, Catexia, Tromort, Ovakner, Teething,Aversio Humanitatis, Velo Misere e etc.Possivelmente em melhor forma e mais profissionalizados do que nunca no Estado espanhol.
Tempestade Conservadora 11:A Banda conhece e gosta do Metal Brasileiro?
Daniel:Claro! Embora eu deva admitir que não sou tão familiarizado com a cena brasileira. Obviamente conheço clássicos como Sepultura, Ratos de Porão, Rebaellium, Mystifier, Soulfly, Angra, Krisiun, Torture Squad, Sarcophagus ou Nervochaos e também bandas mais recentes como Nervosa e Test. Eu realmente gosto de uma banda Grind chamada Facada e havia uma banda bastante clássica de morte e destruição que me lembrou Saturnus que se chamava Lacryma Sanguine.Ele me escreveu com Allan Daniel, seu baixista, para o Lastfm há muitos anos, mas perdemos a faixa. Eles eram muito bons.

Tempestade Conservadora 12:Qual tema filosófico que rodeia este álbum?
Daniel:Jaime é quem escreve a maioria das letras exceto “The Scarlet Lake” e “The Mountain” que foram o trabalho de Kheryon e algumas das minhas contribuições para “Of Winter and Treason” e “Embracing Waves” podem lhe responder melhor para essa pergunta, mas pessoalmente eu diria que “Come the Tide”, apesar de não ser um álbum conceitual, tem vários temas que se repetem, como a busca e consagração de uma identidade no nível individual ao longo de nossas vidas, inseguranças que sofremos diariamente ou desapego em várias situações mundanas. Embora para muitas pessoas a música possa transmitir outras emoções, tentamos não transmitir uma mensagem derrotista ou sem esperança. Embora, afinal, seja o leitor quem deve assimilar essa informação. As duas cartas que Kheryon escreveu são muito mais abstratas e metafóricas enquanto “Of Winter and Treason” lida com lealdade nas estruturas da sociedade e, em certa medida, nacionalismos assim como Ursula K. LeGuin lida com seu romance “A mão esquerda das trevas” que serviu de inspiração para a base do tema.
Tempestade Conservadora 13:Qual a ideia do desenho da capa do álbum?
Daniel:Passamos muito tempo discutindo entre os quatro sobre a direção visual que devemos tomar com o álbum e depois de algum contato tímido, encontrei um post de No Clean Singing .Um dos meus portais favoritos de música extrema e que estreou The Scarlet Lake com o trabalho de Leoncio Harmr que é um artista francês muito atmosférico e pouco conhecido. O que vi me impressionou e o resto do grupo gostou muito, então entrei em contato com ele e devo dizer que foi ótimo trabalhar com alguém tão envolvido, flexível e gentil. Dissemos a ele a paleta de cores que queríamos, exemplos de designs que gostávamos.Tanto dele quanto de outras bandas, por curiosidade, destacamos o “This Island, Our Funeral dos Falloch Scots. Embora os deles fossem muito mais analógicos e alguns elementos como a silhueta, as ondas, o farol e ele cuidou de moldar tudo, tudo foi muito rápido e fluido.
Tempestade Conservadora 14:A Banda acredita que este álbum é conceitual?Sim ou Não e Porque?
Daniel:Não, pois embora existam várias idéias comuns ao longo do álbum, não há ideias ou temas que unifiquem todas as músicas.
Tempestade Conservadora 15:Como a banda chegou na Transcending Obscurity Records?
Daniel:Passamos vários meses conversando com muitas gravadoras e muitos tiveram a agenda completa até o ano seguinte. Embora eles olhassem para o que era necessário para sair no final e outros mostrassem interesse, mas oferecessem condições insultuosas. Um dia, quando não tinha muita esperança, decidi escrever para Kunal que é o dono da Transcending Obscurity Records e mesmo que ele geralmente edite mais bandas extremas ou um som escolar mais antigo. Nós nos conhecíamos há muitos anos por causa de seu Webzine Diazical Conquest e vários sites da Internet, de fazer relações públicas com a gravadora Memento Mori e etc. Então, decidi que não tinha nada a perder. Enviei-lhe o dossiê e a promoção digital e ele respondeu quase imediatamente interessado em ouvir o álbum inteiro.Depois de receber feedback de várias bandas que eu conheço da gravadora como Come Back From The Dead, Gaerea, De Profundis, Drug Honkey e Lifelost.O seu Sincero interesse no grupo e a excelente promoção que ele fez de seus lançamentos, o quanto ele cuidou de suas emoções e a espreitadela que me fez ter contratado o Mestre, decidi seguir em frente. Apesar da expectativa que supunha e que acabou sendo muito maior do que esperávamos.As condições eram francamente muito boas e hoje,às vésperas do lançamento oficial do disco, deixamos muitos dos portais mais importantes de Metal do mundo.Ganhamos muita visibilidade ao assinar com uma gravadora que atualmente goza de muita popularidade e clientes regulares que confiam muito nos olhos de Kunal. Tanto que estou convencido de que muitas pessoas que não nos teriam ouvido primeiro, nós Ele deu a oportunidade de fazer parte da gravadora e conquistamos muitos ouvintes dessa maneira.
Tempestade Conservadora 16:O que está mais presente no som da banda que é o Death Metal Melódico ou Death Metal Progressivo?
Daniel:Também não considero que somos uma mistura de estilos diferentes como Death, black e doom metal em suas várias facetas melódicas, progressivas, clássicas e funerárias e etc. Com Heavy metal tradicional,pós-rock e realmente tudo o que ouvimos. Deixe uma marca, somos ouvintes com poucos preconceitos e filtros.
Tempestade Conservadora 17:Existe um autor ou filósofo que faz parte das idéias propostas pela banda?
Daniel:A resposta autêntica certamente seria complexa, por isso direi que o poeta e seu profeta, o poeta vesgo Matías.
Tempestade Conservadora 18:Mandem uma mensagem aos fãs,a entrevista acabou
Daniel:Obrigado a todos por ler nossos papos aqui! Ouça o nosso álbum “Come the Tide” em eternalstorm.bandcamp.com se você estiver procurando por um metal variado, mas com uma base bastante melódica e atmosférica, sem sacrificar a agressividade e se você gosta e sabe.Conte a seus amigos e compre uma cópia.Siga a atividade da banda em www.facebook.com/eternalstormofficial e em nosso Instagram.

Publicado por Lipetempestade

Uma pessoa de personalidade forte mas disciplinadora e exigente

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Guilherme Angra

Escritor e Psicoterapeuta

UNDERGROUND N' PROUD

THE BEST OF THE ROCK AND METAL UNDERGROUND!

THE HEADBANGING MOOSE

PURE F****N' METAL!

Rock Out Stand Out

The go to place for all the latest in rock and metal music!

The Metal Wanderlust

Metal, Metal, and maybe even some more Metal!

The Metal Gamer

Where the world of metal and gaming becomes one

MAGAZINEANV

DIVULGUE PRODUTOS DO

Tempestade Conservadora

Atitude,Esporte e Espiritualidade

BlueNote Blog

CARTAS PRA NINGUÉM

Discover WordPress

A daily selection of the best content published on WordPress, collected for you by humans who love to read.

Faiock Estúdio

Edição de vídeos, jingles, dublagem, conteúdo, animação etc

HeavyMetalToTheWord

Propagando o Rock e o Metal na sua verdadeira essência..!!

Blog da Jor72

Blog de 'Jornalismo Online' da Faculdades Cearenses (FAC) 2020.2

Cinemarcoblog

Cinema, séries e memórias de um cinéfilo.

Metal Viewer

Kleine Bands werden hier groß geschrieben.

%d blogueiros gostam disto: