Entrevista 306 com os Portugueses da Glasya


A Tempestade Conservadora Chega a Sua Entrevista 306 com a Banda Portuguesa Glasya e a banda nos apresenta seu primeiro álbum intitulado como Heaven’s Demise.A Banda tem essa formação:Eduarda Soeiro como Vocalista,Bruno Prates e Hugo Esteves como Guitarristas,Manuel Pinto como Baixista,Davon Van Dave como Tecladista e Bruno Ramos como Baterista.Vamos a entrevista,mas antes

Tempestade Conservadora 1:Apresentem a banda pra nós?
Glasya:Olá e desde já muito obrigado pelo convite! Os Glasya nascem do gosto pelo tipo de músicas e ambientes criados entre as sonoridades mais pesadas e outras mais orquestrais e cinematográficas, e claro, também pelo seguimento de artistas conceituados nesse registo. A curiosidade em explorar esse tipo de sons e ideias culminou no início das composições das primeiras demos. Através de pessoas conhecidas e contatos que me foram passados, fui reunindo a formação que hoje existe em Glasya. À medida que o tempo foi passando, a formação da banda foi ficando mais consistente e troca de ideias entre todos mais natural, o que claro facilitou a composição das músicas que deram origem ao nosso primeiro álbum.
Tempestade Conservadora 2:Falem sobre o trabalho de composição em Heaven´S Demise?
Glasya: A composição do álbum foi um processo muito engraçado e gratificante para todos nós.Foi um processo iniciado por mim e pelo Bruno Ramos ao qual se juntou o Davon Van Dave para compor as orquestrações nas primeiras demos.Em seguida, juntou-se a nós a Eduarda, o que permitiu compor as linhas vocais e melodias e por fim o Bruno Prates e o Manuel Pinto.Dado que a entrada dos membros da banda foi acontecendo de forma gradual, houve espaço e liberdade para cada um ouvir os temas já compostos até à data, acrescentar o que quisesse à sua maneira e vermos todos como o tema ficava. Esta situação proporcionou-nos ver o crescimento dos temas e ver como os mesmos iam melhorando e crescendo com as influências de cada um.
No geral,foi um processo que correu super bem e de uma forma muito natural.
Tempestade Conservadora 3:A Banda escolheu algum single pra este álbum e o porque desta escolha?
Glasya:Sim, escolhemos a quarta faixa, Glasya, e para a qual foi feito o lyric video. A escolha foi unânime, pois é um tema forte e que transmite a energia que temos e que queremos passar.Os temas do álbum têm dinâmicas diferentes e mensagens diferentes, mas a Glasya é uma música forte e que representa bem o nosso espírito.
Tempestade Conservadora 4:Atrapalha ou Ajuda a banda ser comparada ao Nightwist?
Glasya:Não penso que atrapalhe de forma alguma.
A nossa vocalista, a Eduarda, é vocalista do tributo português a Nightwish e nunca foi algo que tivéssemos algum problema em falar ou dar a conhecer.Mesmo se não fosse esse o caso, penso que era um tema que volta e meia iria ser focado, pois trata-se de um estilo em que Nightwish são uma das grandes referências, mas não penso que atrapalhe de alguma forma.
Temos as nossas influências, as nossas referências, a nossa maneira de estar e o que fazemos é tentar passar da melhor forma a nossa mensagem.

Tempestade Conservadora 5:Qual tema lírico do álbum?
Glasya:O álbum não tem um tema especificamente lírico. Há temas que têm algumas partes mais vincadas em determinado estilo, mas não há um tema específico para alguma coisa.Mas respondendo à pergunta, há três temas que abordam mais a parte lírica. A Glasya, Neverland e No Exit From Myself.
Tempestade Conservadora 6:A Banda terá shows ou turnês a fazer em 2019?
Glasya:Estamos a tratar do agendamento dos concertos. Para já estamos focados no lançamento do álbum que será no dia 20 de setembro em Lisboa e queremos que corra tudo pelo melhor. Para já não temos nada definido, mas é algo que está a ser tratado.
Tempestade Conservadora 7:Falem sobre a Cena Metal de Portugal?
Glasya:A Cena metal em Portugal está cheio de grandes bandas e grandes músicos. Penso que cada vez mais isso é reconhecido.Muitas dessas bandas e artistas não são recentes, sendo que muitos já têm muitos trabalhos editados, outras bandas existem à quinze ou vinte anos. Mas hoje em dia derivado às ferramentas existentes, torna-se muito mais fácil a divulgação das bandas e o dar a conhecer, as músicas, os concertos e etc.
Tempestade Conservadora 8:A Banda tem algum sonho?
Glasya:Todos nós temos sonhos e todos nós gostaríamos de atingir determinadas metas. Se vamos conseguir ou não, não sabemos. Mas sentimos que estamos a fazer o que nos faz felizes e a fazê-lo da melhor maneira que conseguimos e penso que isso é que é o importante.Um passo de cada vez, fazer o nosso percurso, e certamente as coisas boas aconteceram.
Tempestade Conservadora 9:Como está a recepção deste álbum?
Glasya:Está a correr melhor do que esperado. Temos tido ótimas críticas em sites e revistas conceituadas como a MetalHammer ou a RockHard.Sentimos que o álbum está a ser bem aceite e que as pessoas entendem o que fizemos e o que quisemos transmitir.
Tempestade Conservadora 10:A Banda conhece e gosta do Metal Brasileiro?
Glasya:Sempre houve a presença de bandas brasileiras, nomeadamente Sepultura e Angra, por exemplo. Bandas que nos acompanharam na nossa adolescência e que continuamos a acompanhar hoje em dia o seu percurso.
Tempestade Conservadora 11:A Banda acredita que este álbum é conceitual?Sim ou Não e Porque?
Glasya:Não, o álbum não é conceitual.O álbum aborda as dificuldades que todos vivemos diariamente,a luta que todos temos para chegar aos nossos sonhos e objetivos. Ao longo do álbum, isso é retratado de uma forma mais fantástica e mágica, mas não consideramos de todo o álbum conceitual.

Tempestade Conservadora 12:Qual a ideia do desenho da capa do álbum?
Glasya: A ideia da capa surge de uma troca de ideias entre nós e o Pedro Daniel, com quem tivemos o prazer de trabalhar.A ideia foi retratar a força e presença feminina, retratada pela figura e pela lança que está muito ligado ao nome Glasya e ao mesmo tempo um ambiente calmo e sereno, proporcionado pelas colunas romanas, dando a ideia de um templo.
Tempestade Conservadora 13:O que a Glasya tem de diferente de suas bandas anteriores?
Glasya:Cada banda tem a sua história, a sua identidade, a sua força e o seu espírito.
Esse espírito é vivido de maneira diferente por cada pessoa à medida que o tempo vai passando, que se vão conseguindo atingir algumas metas, que se vão fortalecendo amizades e etc. Tudo isso contribui para um bom ambiente entre todos e amizade.Neste momento estamos todos bem, estamos felizes com o que estamos a fazer e Glasya não tem nada de diferente.Glasya tem o espírito e energia que nós criamos à sua maneira.
Tempestade Conservadora 14:Como a banda chegou na Pride & Joy Music?
Glasya:Quando gravámos as primeiras demos, fomos contactando várias editoras.Obtivemos algumas propostas ao longo desse percurso.Entretanto, quando acabamos as gravações do álbum, optamos por voltar a contactar as editoras que não nos tinham respondido ou as que não tinham disponibilidade na altura para incluir mais uma banda no catálogo.Entretanto, a Pride & Joy respondeu e enviou-nos uma proposta que nos pareceu interessante e decidimos arriscar. Sendo uma editora alemã e em crescimento, fez-nos sentido seguir por esta opção e estamos muito contentes com o trabalho que tem sido feito em parceria conosco.
Tempestade Conservadora 15:Que bandas influenciaram o começo da banda?
Glasya:Todos temos gostos muito distintos que vão desde Hans Zimmer e os Two Steps From Hell até Dream Theater, Iron Maiden, Dimmu Borgir, Epica, Paradise Lost e etc.Talvez as bandas com os registos mais orquestrais tenham feito despertar a ideia ou o querer experimentar, mas acabam por ser as influências de cada um que contribuem para as sonoridades presentes no álbum e na nossa opinião, dentro do estilo diversificar as abordagens dos temas e o que transmitem.
Tempestade Conservadora 16:O que significa Glasya?
Glasya:Glasya é, acima de tudo, uma
reinterpretação nossa da deusa ou demônio com o mesmo nome. Na nossa visão, Glasya personifica a veemência feminina, o poder inerente à voz da Eduarda como afirmação da sua condição de mulher assumindo as rédeas de uma banda maioritariamente masculina. Mas é igualmente, no geral, a nossa força interior como entidades únicas que somos, o poder de ser forte e acreditar nesta dupla faceta que
todos vivemos diariamente de guiarmos e sermos guiados em
simultâneo,uma vida feita de contrastes em que tudo depende da nossa forma de lidar com as vicissitudes da vida.
Tempestade Conservadora 17:Mandem uma mensagem aos fãs,a entrevista acabou
Glasya:Agradecemos todo o apoio que temos recebido e incentivo para continuarmos a fazer o nosso melhor e esperamos conseguir corresponder

Publicado por Lipetempestade

Uma pessoa de personalidade forte mas disciplinadora e exigente

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Guilherme Angra

Escritor e Psicoterapeuta

UNDERGROUND N' PROUD

THE BEST OF THE ROCK AND METAL UNDERGROUND!

THE HEADBANGING MOOSE

PURE F****N' METAL!

Rock Out Stand Out

The go to place for all the latest in rock and metal music!

The Metal Wanderlust

Metal, Metal, and maybe even some more Metal!

The Metal Gamer

Where the world of metal and gaming becomes one

MAGAZINEANV

DIVULGUE PRODUTOS DO

Tempestade Conservadora

Atitude,Esporte e Espiritualidade

BlueNote Blog

CARTAS PRA NINGUÉM

Discover

A daily selection of the best content published on WordPress, collected for you by humans who love to read.

Faiock Estúdio

Edição de vídeos, jingles, dublagem, conteúdo, animação etc

HeavyMetalToTheWord

Propagando o Rock e o Metal na sua verdadeira essência..!!

Blog da Jor72

Blog de 'Jornalismo Online' da Faculdades Cearenses (FAC) 2020.2

Cinemarcoblog

Cinema, séries e memórias de um cinéfilo.

Metal Viewer

Kleine Bands werden hier groß geschrieben.

%d blogueiros gostam disto: