Entrevista-559-com a Banda-Lituana-JUODVARNIS


A Tempestade Conservadora chega a sua Entrevista-559-com a Banda-Lituana-JUODVARNIS.Eles nos apresentam seu-Terceiro-álbum-intitulado-como-Nerimo Dienos.A banda-tem-essa-formação:Paulius Simanavičius-como-Guitarrista-e-Vocalista,Modestas Juškėnas-como-Guitarrista-e-Augustinas Bėkšta-como-baterista.A-banda-respondeu nossas perguntas.As-quais,vocês vão acompanhar em todas as suas emoções.Mas,antes disso,vamos-a-uma-música-deles.

TC 1:Apresentem a banda para nós?

JUODVARNIS:Olá, somos o JUODVARNIS, banda de metal da Lituânia. Começamos em 2011 e desde então lançamos dois álbuns completos fizemos vários shows no nosso país e no exterior. Atualmente estamos nos aproximando do lançamento de nosso terceiro álbum que será lançado no dia 28 de agosto. No início, nossa música poderia ser descrita como heavy metal pagão, mas mais tarde adicionamos elementos do death, black e metal progressivo, sinfônico e contemporâneo música de cinema até ritmos tribais e grooves. Isso, combinado com a língua lituana, nos torna quem somos hoje.

TC 2:Falem sobre o trabalho de composição em-Nerimo Diemos ?

JUODVARNIS:Após o lançamento de nosso segundo álbum, MIRUSIO ŽMOGAUS KELIONĖ, passamos uma quantidade considerável de tempo procurando e tentando entender como será a próxima etapa em nosso processo criativo. O processo foi doloroso, mas no final, chegamos à conclusão que precisamos escrever sobre o mundo de hoje. Onde está um ser humano moderno nesta inquietação constante. Ele ainda faz parte da natureza ou ele está constantemente desaparecendo disso. Este e outros temas semelhantes formaram o núcleo de NERIMO DIENOS. Tudo o que tivemos que fazer foi escrever as músicas sobre isso.

TC 3:A banda escolheu um single para este álbum e por que essa escolha?

JUODVARNIS:Decidimos lançar 3 singles antes do lançamento do álbum completo. A ideia por trás disso era que queríamos mostrar ao nosso público o que eles podem esperar do álbum. O primeiro, Diena Kai Pasenau é uma das canções mais rápidas do álbum. Tem muita agressividade nele, muitas batidas explosivas e fragmentos de guitarra. O segundo ‘Prisimink Mane’ abre nosso lado melódico e doomy. É muito mais lento, mas ainda tem seus picos. É centrado em torno dos vocais, que envolve canto limpo melódico, rosnados mortais e gritos agudos. E o terceiro ‘Sielos Dugne é o mais épico de todos. Com uma longa introdução ambiente e uma parte principal ampla, mas pesada, mostra mais um lado de NERIMO DIENOS.

TC 4:Como-é-a-abordagem-pós-moderna-da-banda-neste álbum?

JUODVARNIS:O mundo pós-moderno é uma das principais inspirações deste álbum. É o mundo de agora, está em todo lugar, você só precisa olhar ao redor. Então é isso que nós fizemos. No nosso álbum de estreia a principal inspiração foi o passado: história e mitologia. No nosso segundo, decidimos criar nossa própria mitologia na forma de uma história contínua, que vai ao longo do álbum e neste mundo de hoje é onde os temas se situam. Mas o único fator principal que une todos eles é a natureza, então mesmo no mundo pós-moderno a natureza desempenha um papel significativo, apenas às vezes os humanos o negam.

TC 5:Porque a banda tem esse nome?

JUODVARNIS:JUODVARNIS significa raven em inglês. Escolhemos esse nome porque em muitas culturas o corvo é um símbolo entre a vida e a morte. Em muitas mitologias, o corvo leva a alma desta vida para a outra. É um mensageiro, um símbolo de misticismo e conhecimento. Embora nossas ideias estejam constantemente evoluindo e mudando de álbum para álbum, este nome ainda combina perfeitamente com nossa banda e nossa visão de mundo.

TC 6:Que tipo de paradoxos do mundo moderno-a-banda-aborda-neste álbum?

JUODVARNIS:A faixa de abertura, ‘Mechaninė Saulė, é sobre o lado negro da tecnologia. Embora a tecnologia tenha aberto muitas possibilidades novas e surpreendentes e não sejamos contra ela, as pessoas hoje em dia estão colocando muita dependência dela. Hoje em dia, estamos muito conectados, mas também muito distantes um do outro. Nesse ritmo acelerado em que vivemos, tendemos a esquecer que fazemos parte da natureza e não algumas criaturas biomecânicas. A música ‘Tik Dulkės também toca esse tema, mas o foco principal dessa música é o orgulho. Estamos tão cheios disso hoje em dia. Tendemos a nos ver como deuses, mas na verdade somos apenas poeira no olho do universo. Eu poderia continuar, mas precisaríamos de uma entrevista separada sobre todos eles.

TC 7:Como a JUODVARNIS é diferente de suas bandas anteriores?

JUODVARNIS:Para todos nós esse JUODVARNIS é uma banda que estamos há mais tempo. Os motivos são muitos, mas o principal é que esta banda é o melhor veículo para a nossa criatividade. Tivemos muitas mudanças de membros, porque essa banda exige muita determinação de cada músico. Nós três estamos tocando juntos desde 2014 e esta é a escalação mais estável em nossas posições. Isso também significa que a química entre nós funciona muito bem e isso também é uma grande diferença em comparação com as bandas em que estávamos.

TC 8:Qual é a ideia por trás da obra de arte?

JUODVARNIS:Queríamos uma obra de arte digital minimalista, com um símbolo no meio dela. Com essa ideia fomos ao nosso designer Saulius Bielskis. Demos a ele a música e pedimos para fazer a sua interpretação. É uma tarefa difícil fazer uma arte minimalista para colar com essa música em camadas que fazemos, mas Saulius fez um trabalho incrível! Estamos muito felizes e satisfeitos com o resultado final. Além disso, o livreto é incrível, cada música tem duas páginas de arte única. Queremos dar o máximo possível a todos que receberem uma cópia física deste álbum.

TC 9:Por que-podemos-considerar-o-álbum um reflexo do mundo de hoje?

JUODVARNIS:Os temas da maioria das canções vêm da observação do mundo de hoje. Não se trata apenas do lado negro da tecnologia como em ‘Mechaninė Saulė”, ou de orgulho como em ‘Tik Dulkės’. ‘Diena Kai Pasenau toca a vida na selva de concreto e como esse ritmo acelerado nos torna mais velhos do que realmente somos. ‘Iš Amžių Šaknų lida com o desapego do mundo natural. É assim que sentimos. Isso não significa que tudo está condenado, vemos a luz em tudo. O futuro não está perdido e a escolha ainda está em cada um de nós.

TC 10:A banda conhece e gosta de algo sobre o brasil metal?

JUODVARNIS:Claro que todo mundo conhece o Sepultura, uma banda incrível que continua lançando músicas interessantes, sem limites e ótimas. Nosso álbum foi masterizado no estúdio onde eles gravaram os dois últimos álbuns. Também conhecemos o Krisiun, uma verdadeira lenda do death metal, o Angra, uma grande banda progressiva. De uma banda mais recente, Nervosa se destaca. Por volta de dois anos atrás aquelas garotas fizeram um show incrível aqui em Vilnius, Lituânia! Também não vamos esquecer as lendas. Holocausto, Sarcofago.

TC 11:A banda tem pesadelos com suas músicas?

JUODVARNIS:Provavelmente tive durante a produção, mas não consigo me lembrar deles agora. Eu definitivamente tenho pesadelos de foder tudo ao vivo no palco.

TC 12:Falem sobre a cena do metal na Lituânia?

JUODVARNIS:A cena tem uma longa história, houve grandes bandas de heavy metal nos anos 80, pagan e black wave nos anos 90 e um renascimento do death metal nos anos 2000. Atualmente a cena é menor do que antes, mas há bandas, que deram mais passos que os antecessores. Au-Dessus e Awakening Sun são provavelmente os mais reconhecidos no exterior, já fizeram diversos shows e turnês pela Europa. Há também o Luctus, uma banda realmente única de black metal. A banda Black e sludge Erdve assinou contrato com a Season of Mist, uma das maiores gravadoras de metal. Também temos o Phrenetix, uma banda interessante e muito técnica que toca thrash progressivo, pós metaleiros atmosféricos Autism, blackers Sísifo, stoners Orb e muito mais. Embora a cena seja pequena, temos muito metal bom para oferecer e o público estrangeiro está começando a descobrir isso.

TC 13:É mais fácil ou mais prático uma banda como powertrio?

JUODVARNIS:Devo dizer que nunca quisemos ser um powetrio. Nossa música precisa de duas guitarras, bateria, voz e baixo. Também usamos samples, mas essa parte não é essencial, embora amplie o espaço sonoro da nossa música. Tivemos uma química muito boa com nosso baixista anterior Vytenis, mas foi muito difícil para ele encontrar tempo suficiente para se comprometer totalmente com todas as obrigações da banda, então decidimos nos separar, embora com um bom espírito. Estava no meio da produção de NERIMO DIENOS, então tomamos a decisão de não procurar um substituto e sim como um trio. Não posso dizer que seja mais fácil ou prático dessa forma, mas um dos princípios básicos da nossa banda é que devemos nos sentir bem enquanto tocamos, escrevemos ou saímos juntos e definitivamente temos isso como um trio. Mas não se preocupe, haverá um baixista durante nossos shows!

TC 14:Como é que a banda chegou-Dangus-records?

JUODVARNIS:Tínhamos algumas propostas de lançamento de selos estrangeiros, mas nenhum deles mostrou tanto interesse em nossa música e visão quanto Dangus. Dangus tem uma longa história, foi fundado em 1993 e seus primeiros lançamentos foram discos de black metal pagão. Estamos muito orgulhosos de poder continuar esta tradição que começou.

TC 15:A banda acha que esse álbum é conceitual? sim ou não e por quê?

JUODVARNIS:Não, NERIMO DIENOS não é um álbum conceitual. As músicas têm temas intimamente ligados, mas cada música é uma história diferente. Nosso álbum anterior, MIRUSIO ŽMOGAUS KELIONĖ é conceitual e embora tenhamos gostado de todo o processo de fazer o álbum conceitual, decidimos nos liberar um pouco do conceito para este.

TC 16:A banda sente diferenças entre a letra e o som em Mirusio žmogaus kelionė
e-agora-em-Nerimo Dienos?

JUODVARNIS:A principal diferença lírica entre os dois é que MIRUSIO ŽMOGAUS KELIONĖ conta uma história e NERIMO DIENOS não. O álbum anterior tinha mais arquétipos mitológicos e o novo é muito mais filosófico, mas também tem uma boa quantidade de misticismo mitológico. Acho que o som que conseguimos é um pouco mais versátil, até tem mais groove, mas no geral acho que é uma progressão natural para nós, nada forçado.

TC 17:Deixem uma mensagem para os fãs, pessoal. A entrevista acabou.

JUODVARNIS:Estamos muito felizes por termos fãs de tão longe! Obrigado e cuidem de si mesmos durante esses tempos difíceis. Gostaríamos muito de vir e tocar para você um dia! E obrigado por esta entrevista.

Publicado por Lipetempestade

Uma pessoa de personalidade forte mas disciplinadora e exigente

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Guilherme Angra

Escritor e Psicoterapeuta

UNDERGROUND N' PROUD

THE BEST OF THE ROCK AND METAL UNDERGROUND!

THE HEADBANGING MOOSE

PURE F****N' METAL!

Rock Out Stand Out

The go to place for all the latest in rock and metal music!

The Metal Wanderlust

Metal, Metal, and maybe even some more Metal!

The Metal Gamer

Where the world of metal and gaming becomes one

MAGAZINEANV

DIVULGUE PRODUTOS DO

Tempestade Conservadora

Atitude,Esporte e Espiritualidade

BlueNote Blog

CARTAS PRA NINGUÉM

Discover WordPress

A daily selection of the best content published on WordPress, collected for you by humans who love to read.

Faiock Estúdio

Edição de vídeos, jingles, dublagem, conteúdo, animação etc

HeavyMetalToTheWord

Propagando o Rock e o Metal na sua verdadeira essência..!!

Blog da Jor72

Blog de 'Jornalismo Online' da Faculdades Cearenses (FAC) 2020.2

Cinemarcoblog

Cinema, séries e memórias de um cinéfilo.

Metal Viewer

Kleine Bands werden hier groß geschrieben.

%d blogueiros gostam disto: