Entrevista-569-com a Banda-Finlandesa-Korpsesoturi


A Tempestade Conservadora chega a sua Entrevista-569-com a Banda-Finlandesa-Korpsesoturi.Eles nos apresentam seu-primeiro-Segundo-álbum-intitulado-como-Korpskrist..A banda-tem-essa-formação:Juha Ahlfors-como-Baixista-e-Vocalista,Jani Elokoskil-como-Guitarrista-e-Sami Väkkärä-como-baterista.Juha Ahlfors-respondeu nossas perguntas.As-quais,vocês vão acompanhar em todas as suas emoções.Mas,antes disso,vamos-a-uma-música-deles.

TC 1:Apresentem a banda para nós?

Juha Ahlfors:Bem, a banda foi originalmente fundada por mim Juha Ahlfors por volta de 2014. A ideia de fazer um death metal de ritmo rápido na minha língua nativa estava na mesa por anos, mas daquela vez parecia um bom tempo. Desde aquela época, vários músicos estiveram envolvidos. No entanto, as mudanças não afetaram a composição da música ou qualquer coisa, pois todo o material estava saindo da minha cabeça. No momento há Jani Elokoski tocando guitarra que se juntou à banda no verão de 2019 é-um guitarrista brilhante e talentoso de todos os modos! O baterista foi substituído novamente este ano, mas já temos um novo baterista. No entanto, o anúncio oficial ainda está pendente.

TC 2:Falem sobre o trabalho de composição em Korpskrist?

Juha Ahlfors:Vamos começar com o Malus Corpus que foi mais como um álbum completo das músicas escritas ao longo dos anos e esperando para encontrar seu lugar. Korpskrist é 99% novo e eu comecei a escrever essas músicas já quando Malus Corpus foi lançado oficialmente. A música em si é talvez um pouco diferente e mais combinada, já que o foco era escrever um álbum completo. A composição foi feita principalmente em demos na minha câmara musical em minha casa. Fiquei muito feliz que Jani escreveu uma música para o álbum também Helvetin Vanha Kiulu que na minha opinião se encaixa perfeitamente no resto das músicas!

TC 3:A banda escolheu um single para este álbum e por que essa escolha?

Juha Ahlfors:Bem,Dave da Xtreem music me perguntou qual música deveria ser escolhida para o primeiro single e eu disse a ele “você é o gerente da gravadora, então é seu dever escolher e ele fez o-que eu diria que poderia ter escolhido a mesma música que ele é na verdade a primeira faixa do álbum.

TC 4:Qual é o tema lírico desse álbum?

Juha Ahlfors:Como eu escrevi todas as letras, eu tenho que dizer quanto ao primeiro álbum também que o tema é uma visão bastante pessoal do mundo no momento. Existem algumas canções no Korpskrist também que na verdade estão gritando em voz alta o hipocrisia do ser humano e, por outro lado, a nossa exclusão social. Quanto mais olhamos para as décadas passadas e o que está acontecendo agora e mais as pessoas se preocupam apenas com suas próprias vidas. Muitos jovens estão tendo problemas e distúrbios psicológicos e isso é causado pela sociedade. O último álbum estava contando um pouco sobre o bullying e coisas assim e este álbum está contando o que acontece depois. Humano é basicamente um animal, mas cuidar de seu próprio rebanho foi esquecido em algum lugar. O próprio Korpskrist imagens de um espírito maligno que puxa os cordões nos bastidores, fazendo-nos ferir a nós mesmos e destruir o que temos.

TC 5:Porque a banda tem esse nome?

Juha Ahlfors:Este nome veio originalmente de um filme Zombie Lake. Era para ser outras palavras, mas devido ao fato de que o nome era para ser algo que não pode ser encontrado em qualquer lugar como uma cópia é Korpsesoturi.

TC 6:Foi-mais-fácil-fazer-um-álbum-em-finlandês?

Juha Ahlfors:Devo dizer que escrevo letras em finlandês há mais de uma década. Eu estive envolvido com música e escrevendo letras desde o final dos anos 80 e início dos anos 90. Originalmente, o death metal deveria ser em inglês e não importa o quê, mas o idioma era inglês. Esse foi o meu caminho também, até 15 anos atrás eu tentei traduzir algumas letras da banda que eu fazia naquela época. Eu também fiz algumas gravações demo para as músicas, mas não me senti bem. Então, em 2010, quando aquela banda parou de trabalhar comigo e alguns de meus amigos começaram outra banda chamada Vainaja e nessa banda, a primeira ideia foi escrever letras em finlandês. O Vainaja lançou dois álbuns e desde então comecei a pensar em músicas mais rápidas e letras finlandesas. Depois de algum tempo, as letras começaram a parecer certas para Korpsesoturi e quanto mais eu escrevo em finlandês, melhor parece. Uma das coisas principais é que a língua finlandesa parece crua e há muitas palavras que você não consegue encontrar em outras línguas. Também aumenta a sensação no som de rosnado devido ao fato de que você nunca precisa pensar se a pronúncia é perfeita ou não. Em finlandês, eu posso brincar muito com os tons e coisas assim e parece libertador de uma forma.

TC 7:Qual é a ideia por trás da obra de arte?

Juha Ahlfors:Quanto ao tema lírico do álbum, na verdade escrevo letras o tempo todo. De frases curtas a letras de músicas completas. Para Korpskrist, eu tinha uma ideia do tema lírico e como mencionei antes, tive uma ideia sobre um espírito maligno que reuniria todo o tema do álbum em um. Então, eu perguntei se Azoth criaria uma capa de cena subterrânea onde o próprio Korpskrist estaria presente e as almas perdidas estariam ao redor dele ou algo assim. Depois de alguns meses, ele me mandou alguns esboços e BANG, fiquei chocado! Esse cara estava lendo meus pensamentos como um livro aberto. Então, a arte da capa está na verdade visualizando o tema lírico do álbum.

TC 8:Como é que a banda chegou ao Xtreem Music?

Juha Ahlfors:Depois do Malus Corpus, várias gravadoras ofereceram o lançamento do segundo álbum. Também enviei dezenas de e-mails para gravadoras em potencial porque eu realmente queria ter o segundo álbum em formato de vinil. A Malus Corpus também está tendo um arquivo de masterização de vinil separado, mas que nunca foi lançado pela gravadora naquela época e talvez alguma gravadora faça isso no futuro! Enfim, um dia o Dave da Xtreem Music me mandou uma mensagem no Facebook e perguntou como está o segundo álbum. Depois de algumas discussões, fizemos um acordo com ele. Uma das coisas que foram realmente importantes foi que meu amigo Isto que é membro original do Mordicus, me disse que Dave é fanático por metal há muito tempo. Também conversei com as bandas de Amputory Pekka, pois eles têm um acordo com o Xtreem e ele me disse que sempre funcionou bem. Selo de death metal tão confiável e grande o que mais eu poderia perguntar!

TC 9:A banda tem pesadelos com suas músicas?

Juha Ahlfors:Esta deve ser a pergunta mais maluca de todas! Eu sempre sonho com as letras antes de escrevê-las, então, vocês podem imaginar que já estive por dentro de todos os temas líricos desse álbum !!!

TC 10:É mais fácil ou mais prático uma banda como powertrio?

Juha Ahlfors:Na minha opinião, é prático para viajar-e mais três caras em uma equipe de tormento ao vivo é muito eficiente quando se toca ao vivo. Claro, há algumas coisas que não podemos tocar ao vivo, mas por outro lado, sem solos, é apenas pura energia entre a banda e o público!

TC 11:Como a KORPSESOTURI é diferente das bandas anteriores?

Juha Ahlfors:Bem,talvez não seja tão diferente, mas como Jani está dizendo com frequência. isso é o que aparece quando um baixista escreve músicas! Uma das coisas que pode nos separar de outras bandas de metal old school na Finlândia é que vivemos e tocamos metal durante os anos 90, por exemplo. Então, o metal da velha escola já está em nosso vão e eu não poderia pensar em escrever músicas de outra forma. Eles simplesmente aparecem como são.

TC 12:O que a banda-quer-dizer-com o estilo pessoal e implacável?

Juha Ahlfors:Sem compromissos, sem solos, sem absurdos melódicos. Energia pura e crua e coisas assim. A agressão no tormento ao vivo é um pouco mais, já que isso é o principal e dar o máximo de nós para o público! O toque pessoal vem da estrutura das músicas e sem estruturas de rock e sem misericórdia para o baterista!

TC 13:A banda conhece e gosta de algo sobre metal brasileiro?

Juha Ahlfors:Claro que sim. encontrei o Sepultura no final dos anos 80 e início dos anos 90! Eu ainda ouço muito o álbum Arise, mas outros álbuns também. Eu também conheci a banda de death metal Valhalla do Brasil alguns anos atrás. Eu realmente aprecio seu trabalho e música. Na verdade seu ex-baterista Ariadne me deu uma dica sobre a arte de Azoth que também está localizada no Brasil! Também o Krisiun e o Torture Squad devem ser mencionados aqui! Devo dizer também que durante os anos 90 a cena death metal sabia que havia muitas bandas boas vindas do sul da América e principalmente do Brasil. Eu estava trocando algumas fitas da minha banda do início dos anos noventa-que-é-a Distortion e várias bandas incríveis estiveram na área do Brasil!

TC 14::A banda acha que este álbum é conceitual? Sim ou não e por quê?

Juha Ahlfors:Liricamente, os temas se misturam e a mensagem por trás de tudo é sobre o comportamento humano. De certa forma, é conceitual, mas não como contar uma história com alter egos e esse estilo é mais o que eu faço em Vainaja.

TC 15:Pelo-fato-de-ter-soldado-no-nome, podemos-afirmar-alguma-influência-na-2-grande-guerra-na-banda?

Juha Ahlfors:Bem, como eu disse antes, o nome vem parcialmente de um filme Zombie Lake. Este filme mostra soldados alemães mortos sob a superfície que se transformam em zumbis que matam os nadadores no lago. Portanto, devido a isso, sim, mas de outra forma não.

TC 16: A banda sente diferenças entre lírico e som em Malus Corpus e agora no Korpskrist?

Juha Ahlfors:Os temas líricos seguem o que estava em Malus Corpus e portanto, não-é cópia das ideias ou com base nos mesmos sentimentos. Em termos de som,o caro senhor e guitarrista Jani na verdade, fez a atmosfera sonora do álbum com seu amigo Toni Kimpimäki-da Red Five Studios. A ideia era pegar sons da velha escola e não polir tudo.

TC 17:Porque a-banda saiu de-Helsinki?

Juha Ahlfors:Na verdade, a banda hoje está oficialmente localizada em Kouvola apenas porque eu moro nessa área. Durante o tempo de mudança de locação da banda também foi o momento em que eu tirei o baterista e o guitarrista e isso aconteceu um pouco antes de iniciar o processo de gravação do Malus Corpus. Não vou aos detalhes desta vez. Mas, no momento, estamos tendo os treinos novamente na área de Helsinque. Sempre digo às pessoas que me perguntam que Korpsesoturi fica na Finlândia!

TC 18:Deixem uma mensagem para os fãs, pessoal. A entrevista acabou.

Juha Ahlfors:Todos os fãs de death metal por aí, vejam nossa música! Venham para os shows e divirtam-se conosco,o tormento ao vivo é o motivo pelo qual Korpsesoturi está indo forte! Saudações da Finlândia!

Publicado por Lipetempestade

Uma pessoa de personalidade forte mas disciplinadora e exigente

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Guilherme Angra

Escritor e Psicoterapeuta

UNDERGROUND N' PROUD

THE BEST OF THE ROCK AND METAL UNDERGROUND!

THE HEADBANGING MOOSE

PURE F****N' METAL!

Rock Out Stand Out

The go to place for all the latest in rock and metal music!

The Metal Wanderlust

Metal, Metal, and maybe even some more Metal!

The Metal Gamer

Where the world of metal and gaming becomes one

MAGAZINEANV

DIVULGUE PRODUTOS DO

Tempestade Conservadora

Atitude,Esporte e Espiritualidade

BlueNote Blog

CARTAS PRA NINGUÉM

Discover

A daily selection of the best content published on WordPress, collected for you by humans who love to read.

Faiock Estúdio

Edição de vídeos, jingles, dublagem, conteúdo, animação etc

HeavyMetalToTheWord

Propagando o Rock e o Metal na sua verdadeira essência..!!

Blog da Jor72

Blog de 'Jornalismo Online' da Faculdades Cearenses (FAC) 2020.2

Cinemarcoblog

Cinema, séries e memórias de um cinéfilo.

Metal Viewer

Kleine Bands werden hier groß geschrieben.

%d blogueiros gostam disto: