Entrevista 636 com a Banda Norueguesa Keiser


A Tempestade Conservadora chega a sua Entrevista 636 com a Banda Norueguesa Keiser.A banda nos apresenta seu segundo álbum completo intitulado como Our Wretched Demise.A banda tem essa formação:Mikael Torseth como Guitarrista e Vocalista,William Aamodt como Guitarrista,Jon Hektoen como Baixista e Geir Johansen como Baterista.Mikael respondeu as nossas perguntas.As quais,vocês vão acompanhar em todas as suas emoções.Mas,antes disso,vamos a uma música deles.

TC 1:Apresentem a banda para nós?

Mikael Torseth:Somos uma banda de black metal de quatro integrantes composta por eu mesmo na guitarra e vocal, William na guitarra, Jon Einar no baixo e Geir na bateria. Estamos ativos há cinco anos, mas apenas três como uma banda completa. No passado nós lançamos um EP e um álbum, mas nosso próximo álbum “Our Wretched Demise” é o nosso primeiro como uma banda completa.

TC 2:Falem sobre o trabalho de composição em Our Wretched Demise?

Mikael Torseth:Eu escrevo a maioria das músicas com muitas contribuições dos outros caras. O processo de composição é diferente de música para música. Algumas nascem no espaço de ensaio, algumas nascem por horas e horas no Guitar Pro e algumas nascem brincando com uma guitarra em casa. Isso é parte do que os torna diferentes uns dos outros.

TC 3:A banda escolheu um single para este álbum e por que essa escolha?

Mikael Torseth:Escolhemos os dois singles porque o show muito do que o álbum tem a oferecer, embora não seja muito longo. A maioria das músicas do álbum tem entre cinco e dez segundos de duração. Para um único, você precisa de algo denso que traga muito para a mesa em um curto espaço de tempo.

TC 4:Qual é o tema lírico desse álbum?

Mikael Torseth:O tema lírico é guerra. As diferentes canções tratam de diferentes aspectos da guerra, particularmente o lado humano dela. Como lidamos quando estamos sob forte pressão, como conseguimos reconstruir. Há também uma música sobre como a propaganda é usada como arma de guerra na música Scourge of the Wicked.

TC 5:O que banda quer dizer com Downfall of man?

Mikael Torseth:Presumo que isso seja da nossa página no Metal Archives! Bem, percebemos que muitas de nossas canções lidam com as deficiências da humanidade, especialmente em nosso material anterior. Desta vez, também nos concentramos na força da humanidade, então talvez tenhamos nos tornado mais sutis a esse respeito.

TC 6:O que banda quer dizer com Progressivo Black Metal?

Mikael Torseth:Acho que às vezes usamos esse termo durante o lançamento de The Succubus. Nossa música não é particularmente técnica comparada com muitas bandas que são descritas como progressivas, mas nos inspiramos muito no rock progressivo na forma como as músicas são escritas. Muitas de nossas músicas têm estruturas não tradicionais como Eternal Onslaught e a faixa-título, então, nesse aspecto, somos meio progressivos.

TC 7:Existe alguma banda dentro do seu estilo que você não gosta?

Mikael Torseth:Não, realmente não há. Não gastamos nosso tempo nos preocupando com coisas de que não gostamos. Claro que existe a cena black metal nacional-socialista que é absolutamente estúpida, mas por razões óbvias.

TC 8:Como o Keizer é diferente de suas bandas anteriores?

Mikael Torseth:Eu realmente não estive em muitas bandas de metal antes. Tive uma banda de speed metal de curta duração há muitos anos e alguns projetos de um homem só. Em termos de dedicação, o Keizer é muito mais sério do que qualquer uma das minhas bandas anteriores. É o mesmo para Geir e William, eu acho. Jon Einar é o cara mais experiente da banda, tendo estado com bandas como Vecordious, Cleaver e Shroud e ainda ativo no Posthum que são ótimas bandas que todos deveriam conferir.

TC 9:Quais Conflitos a banda mostra neste trabalho?

Mikael Torseth:Temos muito poucos conflitos reais. Operamos a banda como uma democracia e sempre procuramos encontrar soluções que agradem a todos. Discordamos algumas vezes, mas sempre encontramos um bom meio-termo.

TC 10:Falem sobre a cena do metal na Noruega?

Mikael Torseth:A cena do metal na Noruega é bastante forte. Especialmente aqui em Trondheim, que realmente tem uma cena de metal florescente no momento. Os shows geralmente têm grande público, e há dois clubes dedicados a shows de rock e metal.

TC 11:Como a banda chega na Non Serviam Records?

Mikael Torseth:Ouvimos falar deles através da Nexorum com quem dividimos um espaço de ensaio. Eles ficaram muito felizes com a gravadora, então decidimos enviar nosso álbum para eles. Felizmente, eles pareceram realmente gostar e tem sido uma grande cooperação até agora!

TC 12:A banda sente diferenças entre lírico e som em The Succubus e agora em Our Wretched Demise?

Mikael Torseth:Nós sentimos que existem muitas diferenças. Nós escrevemos e gravamos The Succubus há mais de quatro anos e mudamos muito, tanto como banda quanto pessoalmente desde então. As letras são, claro, muito mais centradas na guerra desta vez. Musicalmente ficamos mais firmes, não só em termos de tocar e no que diz respeito à composição. O próximo álbum é muito mais variado que o primeiro também.

TC 13:Qual a ideia da capa do álbum?

Mikael Torseth:Queríamos uma capa que combinasse com o clima do álbum.Ele retrata um campo de batalha sob um castelo. No céu há uma lua vermelha de sangue e é uma referência à nossa velha canção Ascension of Ghouls, um sinal de derramamento de sangue.

TC 14:Porque a banda tem esse nome?

Mikael Torseth:Queríamos um nome curto com um significado forte. Quando pensamos em Keizer, essa foi a escolha óbvia para nós.

TC 15:Além da música,o que a banda adora fazer?

Mikael Torseth:Nós gostamos de muitos hobbies diferentes. Gosto de correr, assistir e colecionar esportes motorizados especialmente F1. Jon Einar também é um grande fã do automobilismo e trabalha como batedor de painel. Jon Einar e William têm grande interesse em história. Geir é técnico de iluminação e adora cozinhar.

TC 16:A banda acredita que este álbum é conceitual?Sim ou Não e Porque?

Mikael Torseth:Prefiro dizer temático do que conceitual. Álbuns conceituais geralmente têm uma história contínua ao longo do álbum e Our Wretched Demise não.

TC 17:Mandem uma mensagem aos fãs,pessoal.A entrevista terminou.

Mikael Torseth:Recebemos muita atenção após o lançamento de nossos dois últimos singles. O feedback foi ótimo e nós o apreciamos imensamente. Nossos fãs fazem todo esse trabalho valer a pena! Permaneçam fiéis e seguros, todos.

Publicado por Lipetempestade

Uma pessoa de personalidade forte mas disciplinadora e exigente

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Guilherme Angra

Escritor e Psicanalista

UNDERGROUND N' PROUD

THE BEST OF THE ROCK AND METAL UNDERGROUND!

THE HEADBANGING MOOSE

PURE F****N' METAL!

Rock Out Stand Out

The go to place for all the latest in rock and metal music!

The Metal Wanderlust

Metal, Metal, and maybe even some more Metal!

The Metal Gamer

Where the world of metal and gaming becomes one

Seja Bem Vindo

Meu Canal de Vendas

Tempestade Conservadora

Atitude,Esporte e Espiritualidade

Coeficiente

Textos Acadêmicos, Resenha de Livros e Discos

Discover

A daily selection of the best content published on WordPress, collected for you by humans who love to read.

Faiock Estúdio

Edição de vídeos, jingles, dublagem, conteúdo, animação etc

ESTERILTIPO

Resenha de discos de Rock & Metal

HeavyMetalToTheWord

Propagando o Rock e o Metal na sua verdadeira essência..!!

Blog da Jor72

Blog de 'Jornalismo Online' da Faculdades Cearenses (FAC) 2020.2

Cinemarcoblog

Cinema, séries e memórias de um cinéfilo.

%d blogueiros gostam disto: