Entrevista 838 com a Banda Espanhola Dantalion


A Tempestade Conservadora tem em sua história grandes entrevistas.Mas,desta vez,fizemos uma entrevista muito especial.Essa banda está na minha história pessoal.Lembro que em 2014,meu grande amigo Luis Mário me apresentou a banda de Black Metal Dantalion e ouvimos juntos seu álbum inteiro chamado Where Fear Is Born.Sete anos depois,nossa admiração pela banda apenas cresceu e hoje a nossa página em sua Entrevista 838 conversa justamente com a Banda Dantalion.Hoje,eles nos apresentam seu oitavo trabalho chamado Time To Pass Away.A banda é formada por:Sanguinist como Guitarrista e Vocalista,Andrés González e Netzja nas Guitarras,Fontán como Baixista e Naemoth como Baterista.Naemoth respondeu as nossas perguntas,as quais vocês vão acompanhar em todas as suas emoções.Antes,porém,vamos a uma música deles pra começar esse papo num nível extremo.

TC 1:Falem sobre o trabalho de composição em Time To Pass Away ?

Naemoth:Saudações, sou o baterista do Naemoth de Dantalion. Bem, o processo de composição deste álbum foi um pouco diferente. Com a situação do Covid, demorou um pouco mais, mal podíamos nos ver para tocar as músicas, mas tínhamos ideias muito claras de como queríamos soar neste álbum. Costumamos trabalhar sempre com um riff que o nosso guitarrista Netzja costuma trazer e na sala de ensaio tocamos e damos nossas opiniões, vemos como continuar e juntos moldamos as músicas. Também trocamos de vocalista nesse processo, o Sangunist já estava na banda anos atrás, e tudo foi muito fácil, porque nos conhecemos e sabemos trabalhar juntos.

TC 2:Como a mística e mágica atmosfera é criada ?

Naemoth:Acho que isso sai naturalmente, quando estamos na sala de ensaio não tentamos criar uma certa atmosfera, apenas tocamos as músicas conforme saem de nós.Magia, como você diz, eu acho que é nos conhecermos como músicos e saber que, se alguém começa a tocar um riff, o resto de nós o concebe da mesma forma, cada um começa a colocar seu instrumento na criação daquela música e o resultado é essa magia. Além de nos conhecermos, Netzja e eu tocamos juntos desde 99 e a formação atual é super sólida e solvente, e o membro mais “novo”, já gravou 3 álbuns com a banda, então, a banda é uma máquina que funciona perfeitamente.

TC 3:O que trouxe a banda de volta ao black metal ?

Naemoth:Bom, a música do Dantalion sempre teve uma parte do Doom, mas voltada para o BM. Depois de gravar Return to Deep Lethargy, Sanguinist e Torgrym deixaram a banda, deixando apenas Netzja e eu. Decidimos deixar um ponto e à parte, era uma coisa difícil para a banda, mas decidimos continuar explorando dessa forma mais Doom, que foi algo que sempre quisemos. Enquanto tínhamos todos os membros, continuamos nessa linha mais Doom, mas aos poucos, na sala de ensaio, quando improvisamos, tudo acabou soando como BM, e tanto Vorg (Andres) quanto Natnof (Fontan) foram entusiasmado em recuperar as raízes da banda, e no final, era uma questão de tempo. Ficamos muito felizes de fazer esses discos e realmente gostamos, mas nossa origem, nosso estilo e o que realmente queremos fazer e tocar é o BM.

TC 4:Qual a ideia da capa do álbum ?

Naemoth:A ideia por trás da obra de arte é a morte. Dantalion sempre fala sobre a morte em suas letras, a entidade de supremacia que ela representa, a escuridão, a única coisa real nesta vida. Queríamos uma capa que representasse todas aquelas ideias, algo que fosse escuro, sombrio, que represente o último suspiro, quando a morte vier e der seu último suspiro, deixando apenas aquela carcaça sem vida que é o nosso corpo efêmero. O momento que chegará a todos nós. Esse é o conceito da obra de arte.

TC 5:O que a Dantalion tem de diferente de suas bandas anteriores ?

Naemoth:Em tudo hehehehe. Dantalion liberta todos os meus sentimentos, sem limitações, me sinto 100% realizado como músico e como amante do metal que sou.
Antes de formar o Dantalion, Netzja e eu tocamos em uma banda chamada Mydgard, ambos nas guitarras. Foi uma boa escola saber o que fizemos de certo e errado.
O baixista também toca baixo em uma banda de Thrash Metal e antes de tocar guitarra em uma banda de Grind, e Sanguinist toca guitarra em uma banda de thrash metal chamada Arkham.Não sei dizer o que ou como é ou era a sua forma de trabalhar, o que eu sei é que Dantalion temos um ritmo de trabalho em termos de gravação em estúdio a cada dois anos aproximadamente.

TC 6:No processo de criação, há uma intensidade sangrenta. Como isso é trabalhado pela banda ?

Naemoth:Como mencionei anteriormente. Sempre trabalhamos em algum riff que o Netzja costuma trazer, ou que o Vorg às vezes traz de casa, é assim que trabalhamos melhor. Às vezes, fazemos uma música do zero na sala de ensaio, mas não é o normal. Com esses dois ou três riffs, começamos a ter uma ideia de como vai ficar a música finalizada, então começamos a somar instrumentos, a propor ideias, até que o resultado nos convença a todos. Tudo o que fazemos na Dantalion é consensual e todos devemos estar 100% satisfeitos com o resultado.

TC 7:Porque a banda tem esse nome?

Naemoth:Dantalion é o nome de um demônio, um duque do inferno com 36 legiões de demônios a seu serviço. Dantalion ensina todas as artes e ciências, esses ensinamentos têm como objetivo acabar com o bem nas pessoas e semear o mal e as trevas. Além disso, ele declara os segredos de qualquer pessoa, pois conhece os pensamentos de todos os homens e mulheres, que pode manipular a seu bel-prazer. Essa é a definição desse demônio. Nós simplesmente amamos isso, e queríamos ser como ele e ser capazes de manipular a humanidade ao nosso capricho ahahahaha. Nunca demos, nem damos especial importância ao nome das bandas, acho que com o tempo o nome vai gerando uma entidade própria, para além do seu significado, é simplesmente o que apresenta para o que está por trás dele que é a banda .

TC 8:Como a banda chegou na Darkwoods Records?

Naemoth: Desde nossas origens trabalhamos com várias gravadoras, e sempre tivemos a sorte de ter mais de uma interessada na banda para escolher. Depois de terminar a gravação de The Sevent Wandering Soul, começamos conversas com Darkwoods e o que gostamos do a maioria era a fluência na comunicação. Com algumas gravadoras era muito difícil, demoravam muito para responder a um e-mail e, na hora de preparar o lançamento de um álbum, a comunicação é essencial. Com Darkwoods, a comunicação foi muito fluida, inclusive a gravadora se interessou muito por nós, e as condições são boas, por isso este novo trabalho é divulgado através deles.

TC 9:Alguma literatura inspira a banda ?

Naemoth:Não temos inspiração de nada nem de ninguém na hora de escrever as letras, simplesmente buscamos dentro de nós mesmos, pegamos e colocamos no papel. Quando gravamos Call of the Broken Souls, fizemos um álbum conceitual sobre a Holy Company , é uma lenda da nossa terra, onde almas vagueiam em dor pelas florestas e estradas em busca de novas almas para se juntarem à sua procissão, nesse álbum se tivéssemos que entrar e nos documentar para podermos escrever sobre toda a história deste lenda antiga.

TC 10:Este álbum é conceitual ? Sim ou Não e Porque ?

Naemoth:Sim, podemos dizer que é um álbum conceitual. Apesar de nossas letras sempre falarem sobre a morte, neste álbum elas falam sobre o momento desde o nascimento de uma pessoa até sua morte, as diferentes formas como a morte pode ser apresentada, as formas como ela deve atuar no forma de doenças, pragas, acidentes, ou que simplesmente permite que você apodreça seu corpo lentamente, mas no final a Morte sempre faz o seu trabalho. Qualquer dia pode ser o último. Todas as músicas mantêm essa linha, portanto, sim, é um álbum conceitual.

TC 11:Além da música,o que a banda gosta de fazer ?

Naemoth:Antes da música não há nada. A banda é o que mais gostamos, é a nossa válvula de escape da sociedade em que vivemos e onde vivemos.Para nós, estar na sala de ensaio, compondo música, começando com um riff e aos poucos vendo como ele se forma, é a coisa mais gratificante para nós, nosso legado. Música é uma paixão, por isso todo o tempo que temos, investimos com o Dantalion e outras bandas ou projetos. Como mencionei antes, além de Dantalion, Sanguinis está com Arkham, Natnof com Lethal Vice e é técnico de som e tourmanager na ITP Promotions, Vorg e eu estávamos em Witchfyre com Balc de Balmog e Torgrym (ex Dantalion) Netzja editou recentemente seu projeto solo LowMist, no qual gravei a bateria, e também os dos dois últimos álbuns dos blackers Empty, e Adonai, projeto também com Balc de Balmog. Se não estamos fazendo coisas relacionadas à banda, todos nós gostamos de ir a shows e festivais e sair para algumas boas cervejas quando podemos hahaha.

TC 12:Quais bandas influenciaram vocês?

Naemoth:Quando formamos o Dantalion, nossa ideia era misturar a raiva e a escuridão de bandas como Dark Funeral, com a emoção e melancolia de Forgotten Tomb. Acho que com nossos dois primeiros trabalhos tivemos sucesso. Aos poucos essa melancolia e mais influências de Doom foram ganhando espaço, e nossos dois próximos álbuns, já com Sanguinist na banda, soam diferentes, mais mid-tempos e mais depressivos … Também fomos influenciados pela antiguidade do Katatonia na época. No presente, não pretendemos soar como nada ou ninguém em particular, as influências estão sempre presentes. Sempre haverá coisas que podem lembrá-lo de Forgotten Tomb ou Shining, mas a composição desse álbum foi muito natural, queríamos fazer um álbum do BM, um álbum do Dantalion e acho que conseguimos. Parece-nos, sem repetir fórmulas, o que é algo que nunca fizemos, mas quem segue o caminho da banda, pode verificar que mesmo nos discos mais Doom, o estilo da banda está sempre lá, seja na forma de tocando nossos instrumentos, ou no sentimento que os riffs têm, lembre-se sempre que o que você está ouvindo é Dantalion.

TC 13:Falem sobre a Cena Metal na Galícia ?

Naemoth: Na Galiza temos um cenário muito bom, tanto em BM, Death, Brutal, Thash etc. Temos bandas de alto nível que oferecem um trabalho de alta qualidade.Balmog, Marthyrium, Lostregos, Dioivo, Barbarian Prophecies, Perpetual, AkoúΦenom, Scent of Death, Banished from Inferno, Bloodhunter, Agonica, Infrahumano, Arkham, Lethal Vice, Unreal Overflows, ou pessoas como o extinto Machetazo, Aboriorth, The Last Twilight and a long e etc. Existem também bandas que se destacam em outros estilos, mas eles são não é mais nossa coisa. A cena extrema tem uma grande variedade e qualidade para se orgulhar.

TC 14:A banda sentiu diferenças em The Seventh Wandering Soul e agora em Time to Pass Away ?

Naemoth:Bem, eles são, na verdade, álbuns muito diferentes. Antes do The Seventh Wandering Soul, tínhamos acabado de fazer dois álbuns do Death Doom, e nesse álbum começamos a ver riffs de BM em várias músicas. Pode-se dizer que foi um prelúdio para o retorno ao Banco Mundial. À medida que avançávamos na composição nos sentíamos mais confortáveis com as partes mais rápidas, e quando terminamos o álbum, já sabíamos que o próximo álbum estaria na linha BM novamente. É o que carregamos dentro de nós. Em termos de composição, a maior mudança está nas vozes, Diego foi mais para levar ideias para o estúdio e lá experimentar e dar forma às músicas, enquanto Sangunist é para levar tudo preparado para os ensaios e para o estúdio de gravação. Quanto ao resto, não há alterações na composição. Só tivemos que trabalhar mais em casa por causa da situação do COVID.

TC 15:Porque a depressão é tão presente no som de vocês ?

Naemoth:Sempre que fazemos uma música, tentamos transmitir e trazer para fora o que carregamos dentro. Às vezes, com apenas duas notas, você pode transmitir uma sensação enorme, sem a necessidade de mais nada. Procuramos sempre misturar partes com mais raiva e outras com aquela sensação melancólica que possivelmente é a que mais nos preenche. Sempre fomos muito fãs de bandas como Forgotten Tomb (bem, Springtime Depression, que é o único álbum realmente bom) Shining, o sentimento do Burzum e etc e quando compomos, naturalmente criamos esse tipo de ritmo, que também são os que melhor se adaptam às nossas letras. De qualquer forma, nosso novo álbum é possivelmente o menos melancólico de todos, e o mais direto.

TC 16:Qual banda vocês gostariam de ser por um dia e porque ?

Naemoth:Se eu pudesse me colocar no lugar de uma banda, obviamente seria em uma megabanda, e o motivo, poder viver o que é tocar para 30 ou 40.000 pessoas, com um time de gente assistindo para que no palco não falhe nada, tenha um som perfeito, e veja que tanta gente cantando suas músicas, essa tem que ser a maior adrenalina do mundo. Acho que cada membro da banda escolheria um diferente. Eu pessoalmente gostaria de fazer parte do Judas Priest, minha banda fetichista.

TC 17:Mandem uma mensagem aos fãs,a entrevista acabou!

Naemoth:Em primeiro lugar, obrigado pelo apoio, e pelo tempo investido na realização da entrevista, é sempre um prazer, e obrigado, que estão lendo. Esperamos que você goste do novo álbum.Em breve, estará disponível para download digital em nosso Bandcamp. (https://dantalion.bandcamp.com)
E a pré-encomenda de formatos físicos já está disponível no site Darkwoods (https://darkwoods.eu/webstore/en/).Fique ligado em nossas redes, onde iremos mantê-lo informado !!!

Publicado por Lipetempestade

Uma pessoa de personalidade forte mas disciplinadora e exigente

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

Guilherme Angra

Escritor e Psicoterapeuta

UNDERGROUND N' PROUD

THE BEST OF THE ROCK AND METAL UNDERGROUND!

THE HEADBANGING MOOSE

PURE F****N' METAL!

Rock Out Stand Out

The go to place for all the latest in rock and metal music!

The Metal Wanderlust

Metal, Metal, and maybe even some more Metal!

The Metal Gamer

Where the world of metal and gaming becomes one

MAGAZINEANV

DIVULGUE PRODUTOS DO

Tempestade Conservadora

Atitude,Esporte e Espiritualidade

Blue Disc Blog

Resenha de Discos

Discover WordPress

A daily selection of the best content published on WordPress, collected for you by humans who love to read.

Faiock Estúdio

Edição de vídeos, jingles, dublagem, conteúdo, animação etc

HeavyMetalToTheWord

Propagando o Rock e o Metal na sua verdadeira essência..!!

Blog da Jor72

Blog de 'Jornalismo Online' da Faculdades Cearenses (FAC) 2020.2

Cinemarcoblog

Cinema, séries e memórias de um cinéfilo.

Metal Viewer

Kleine Bands werden hier groß geschrieben.

%d blogueiros gostam disto: